Resumo A Revolução dos Bichos (George Orwell) *Contém spoiler

Saraiva
Saraiva

Proprietário da Granja do Solar, Sr. Jones sempre tratou seus animais de maneira cruel, com punições violentas, alimentação escassa e trabalho sobrecarregado. Apesar da insatisfação geral, porém contida, nenhum deles era capaz de supor qualquer mudança ou melhoria na vida que levavam, e todos simplesmente aceitavam o que lhes era imposto, da maneira como sempre havia sido e viria a ser.

Um dia, o velho porco Major, conhecido por ser o mais sábio da fazenda, reúne todos os animais em uma reunião para contar a respeito de um estranho sonho que teve, onde o homem não mais existia e o mundo era dominado pelos animais, que viviam em perfeita harmonia. Ao falar sobre as injustiças da escravidão e da miséria na qual se encontravam devido às ações humanas, Major acaba por plantar uma semente de inconformismo e revolução em seus companheiros, que continuou a se desenvolver na Granja mesmo após sua morte, ocorrida poucos dias depois.

Os porcos ficaram encarregados da tarefa de instruir os demais animais da fazenda, pois todos começavam a se preparar para a Revolução prevista por Major. Dentre eles, destacavam-se Bola-de-Neve e Napoleão, que Sr. Jones criava para vender e que se mostraram possuidores de grande espírito de liderança. A fazenda foi conquistada e o proprietário, expulso; Sete Mandamentos foram criados, tarefas foram distribuídas, o alfabeto foi ensinado, e com o passar do tempo todos os animais se viam satisfeitos diante dos progressos da Granja, agora sob seu comando.

Bola-de-Neve e Napoleão frequentemente entravam em discordância sobre assuntos referentes à administração da fazenda, e essa rivalidade chegou ao limite quando o primeiro apresentou um projeto para a construção de um moinho de vento, ao qual o outro se mostrou contra. No dia da votação que determinaria se o moinho seria ou não construído, e após um caloroso discurso do oponente, Napoleão repentinamente chama em sua defesa um exército de cães ferozes, que expulsam Bola-de-Neve da Granja. Declara-se líder da comissão de porcos, e determina que dali em diante o voto dos demais animais da fazenda não seria levado em consideração.

Com o passar dos meses, a autoridade de Napoleão se tornava cada vez mais absoluta, violenta, repressora e manipuladora. Apesar da leve percepção, o restante da fazenda não ousava opor-se ao líder, devido ao medo dos cães e, principalmente, a ideia de que as coisas eram ainda piores na época em que o proprietário era o Sr. Jones. E dessa maneira permaneciam na ignorância de sua escravidão, enquanto os porcos viviam no luxo, sendo sustentados pelo trabalho dos demais e se tornando cada vez mais parecidos com os seres humanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *