Resenha O Príncipe (Nicolau Maquiavel)

Saraiva
Saraiva

Política é a habilidade de executar estratégias que tenham por fim a conquista e manutenção do poder. O objetivo da política é levar os homens a viver na mesma comunidade de forma organizada e em liberdade.

Nicolau Maquiavel se dedicou ao estudo da filosofia política de forma diferente dos filósofos anteriores a ele. Ele buscou investigar a política pela política, sem utilizar em sua análise conceitos morais, éticos e religiosos. A política em sua filosofia tem a capacidade de buscar suas próprias decisões de forma livre, sem que outras áreas do conhecimento interfiram em suas conclusões. Maquiavel nos trouxe uma nova forma de estudar filosofia política.

Ele viu que era preciso uma estabilidade na sociedade e no governo, pois o contexto europeu naquela época era de guerra. A Itália, seu país de origem, era dividida em Estados autônomos, que viviam em constante disputa entre si.

Maquiavel buscava a recriação de uma nação italiana com inspiração na República Romana. Para unir novamente a Itália, procurava um príncipe que pudesse agrupar e dirigir os pequenos estados em que esta se encontrava fragmentada.

Esse príncipe político não poderia contar com a boa vontade das pessoas, pois elas não são naturalmente boas ou más, mas podem ser tanto uma como outra. O príncipe político que deseja ter sucesso deve partir da regra de que as pessoas são más e que, na primeira oportunidade, demonstrarão essa maldade, traindo o seu superior. Além do mais, os homens amam conforme sua vontade e necessidade, mas temem conforme a do príncipe, portanto é melhor ser temido do que amado, porém não odiado, o que poderia causar revoltas e conspirações.

O príncipe deve saber ser bom ou mau conforme a necessidade política. Evitando sempre o meio termo, deve ser bom se puder, mas se necessário deve usar da maldade. Esta deve ser feita toda de uma vez, para que não demore a ser esquecida; já o bem deve ser feito aos poucos, para que seja sempre lembrado e bem saboreado.

O príncipe tem que ser virtuoso (Virtú); essa virtude significa vitalidade, força, planejamento, esperteza e a capacidade de se impor e profetizar. O príncipe que tiver essa virtude vai ser dono do próprio destino, criar sua própria sorte e colaborar para a ordem das coisas (Fortuna). Esses são os dois conceitos na política de Maquiavel, necessários para o sucesso do príncipe em seu governo.

Com essas e muitas outras reflexões a respeito da arte de conquistar, manter e governar um Estado, O Príncipe foi oferecido aos Médicis por Maquiavel, que o haviam mandado ser preso e torturado sob acusação de conspiração quando voltaram ao comando de Florença. Até hoje, a obra representa uma revolução na maneira de se estudar política.

3 Comentários


  1. Ótima resenha, salvou minha nota da faculdade! kkkk
    Bem resumida abordando tudo que era mais importante, parabéns.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *