Resenha O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry)

Saraiva
Saraiva

O narrador do livro começa a história contando sobre quando tinha seis anos e desistiu de fazer desenhos após seus dois primeiros que foram totalmente incompreendidos pelos adultos. Quando cresceu, tornou-se piloto de avião e assim voou um pouco pelo mundo inteiro. Sempre que desejava testar a inteligência de alguma pessoa que conhecia, mostrava seu primeiro desenho (uma jiboia digerindo um elefante, interpretada por todos como sendo um chapéu) e a resposta nunca deixava de ser equivocada.

Vivendo sempre sozinho, um dia seu avião sofreu uma pane no deserto do Saara, justamente quando não levava mecânico ou passageiro algum. Assim, o piloto precisou fazer o difícil conserto ele mesmo, enquanto a água que tinha para beber seria suficiente para apenas oito dias. Após a primeira noite no deserto, foi acordado por um estranho homenzinho que lhe pedia para que desenhasse um carneiro, e no restante dos dias em que consertava o avião ele tentou descobrir mais a seu respeito e do planeta de onde ele dizia ter vindo.

O pequeno príncipe era o único habitante do asteroide B612. Muito curioso, raramente respondia alguma pergunta que lhe era feita, mas nunca desistia de ouvir a resposta das que fazia. Contou sobre o crescimento de baobás em seu planeta, a maneira como lá é possível ver o sol se pôr centenas de vezes ao dia somente ao mover sua cadeira, e também sobre a vaidosa flor a quem amava e de quem cuidava, mas que precisou abandonar para conhecer novos mundos. Tudo isso de maneira despreocupada, soltando informações ao piloto que aos poucos ia aprendendo a lidar com seu jeito misterioso e que se surpreendia com sua sensibilidade e modo de enxergar e interpretar as coisas.

A história continua relatando os asteroides pelo qual o pequeno príncipe passou, os habitantes que conheceu e os inteligentes diálogos que travou com eles. Antes de chegar na Terra, teve oportunidade de conversar com um rei, um vaidoso, um beberrão, um empresário, um acendedor e um geógrafo; todos eles aumentavam sua certeza de que os adultos são criaturas realmente estranhas. Enquanto a preocupação com sua flor crescia cada vez mais, conheceu no deserto da Terra uma serpente e depois uma raposa, com quem conversou sobre amizade e que lhe ensinou sobre cativar e ser cativado.

Esse livro é mundialmente conhecido e ultrapassa todos os limites de seu gênero, marcando muitas infâncias e agradando também adultos e pessoas de todas as idades. A história é repleta de riquezas e conhecimentos sobre a vida, o amor e a amizade. Além disso, aborda aspectos como o orgulho, a vaidade, a ganância, e faz uma crítica ao pensamento e comportamento humano, principalmente a maneira como perdemos a pureza e simplicidade quando nos tornamos adultos. A sensibilidade do autor toca o leitor e leva-o a diversas reflexões a respeito do que é ser criança e das mudanças que sofremos conforme crescemos. O pequeno príncipe é um livro único, e leitura essencial para se ter contato a qualquer momento da vida e reler quantas vezes for preciso e possível.

P.S.: A nova animação de O Pequeno Príncipe, dirigida por Mark Osborne, teve sua estreia antecipada no Brasil e chegará aos cinemas no dia 20 de agosto de 2015. Não percam! 

4 Comentários


      1. Obrigado me ajudou na minha tarefa da escola sobre este livro

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *