Resenha O colecionador (John Fowles)

Resumo

Frederick Clegg é um rapaz órfão que foi criado por sua tia Annie; ele trabalha como funcionário público e tem como hobbie colecionar borboletas. Subitamente se torna dono de uma fortuna, o que o leva a largar seu emprego.

Após sua tia e prima irem para a Austrália, deixando-o só, ele começa a pensar em como seria ter como “hóspede” a bela Miranda, seu amor platônico, para que os dois se conhecessem melhor e ela, quem sabe, também se apaixonasse por ele. Essa ideia acaba se tornando realidade: com muito tempo e dinheiro sobrando, decide sequestrá-la, e após muitos preparos ele finalmente a tem como prisioneira no porão de sua nova casa.

livro-o-colecionador-john-fowles-mercado livre
Mercado Livre

O livro se desenrola com Frederick contando como foi ter Miranda sob seu domínio. Há também uma narração vinda de um diário que ela manteve em seu cativeiro, contando sobre sua vida antes de ser sequestrada e seus sentimentos durante o tempo que viveu no porão da casa de Frederick.

Opinião Pessoal

O Colecionador é um romance de John Fowles narrado em primeira pessoa, a maior parte do tempo por Frederick Clegg. Ele, de acordo com a descrição, aparenta não ter mais do que trinta anos, porém sua personalidade me fazia imaginá-lo como um homem com cerca de quarenta.

Frederick tenta justificar suas atitudes e obsessão por Miranda a todo o momento, porém seu jeito de expressar seus pensamentos e sentimentos chegou ao ponto de me frustrar em diversos momentos. Mesmo não sendo um maníaco sexual violento, ele, obviamente, não tem controle sobre si mesmo, é muito desequilibrado psicologicamente, não tem uma visão de futuro e suas ideias muitas vezes não têm nexo, apresentando características psicopatas.

A narrativa de Miranda, através de seu diário, descreve seu sofrimento durante os dias no porão, que acabam contribuindo para um amadurecimento em relação a suas ideologias e visão de mundo. Pude sentir na pele seu desespero devido ao isolamento, e a evolução de seus pensamentos conforme os dias iam passando me levou a diversas reflexões. Inclusive suas lembranças sobre G.P. e a vida de estudante de artes em Londres estão entre minhas partes favoritas do livro.

A ligação entre a personalidade dos dois personagens é mais profunda do que parece ser, e mesmo sendo um livro pequeno, seu conteúdo é bastante rico; devo dizer que a história realmente superou minhas expectativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *