Resenha Memórias de um Sargento de Milícias (Manuel Antônio de Almeida) *Contém spoiler

Resumo

Leonardo, quando pequeno, é abandonado por sua mãe, que foge para Portugal com um capitão de navio. Seu pai o abandona também, e ele passa a viver com seu padrinho, dono de uma barbearia, que o adota quase como um filho. Desde pequeno é conhecido em toda a vizinhança por ser um menino muito travesso e mal educado, porém seu padrinho, ao invés de repreendê-lo pelas coisas que fazia, o protegia e achava graça em suas travessuras.

O padrinho de Leonardo tinha o sonho de torná-lo padre, mas o menino sempre mostrou não levar jeito para a coisa; na verdade, ele não levava jeito para nada além de gerar transtornos por onde passava.

Juliescreveu
Juliescreveu

Já um moço crescido, Leonardo e o padrinho começam a frequentar a casa de D. Maria, onde Leonardo se apaixona por sua sobrinha, Luisinha, uma moça tímida que quase não lhe dava bola. Então aparece José Manuel, que passa a frequentar a casa de D. Maria e também se mostra interessado em sua sobrinha. Para ajudar o afilhado, Comadre e Compadre tentam a todo custo afastar o novo pretendente, porém os planos acabam não dando certo e ele casa-se com Luisinha.

O padrinho de Leonardo adoece e morre alguns dias depois, o que leva Leonardo a morar na casa de seu verdadeiro pai e sua nova madrasta, com quem logo não se entende. Depois de uma discussão entre os dois, Leonardo foge de casa e acaba se deparando com um amigo de infância e seu grupo. Passa então a morar junto com eles e se vê apaixonado por Vidinha, a moça mais bonita e disputada da casa.

Os primos de Vidinha, com ciúmes, decidem falar com o Major Vidigal sobre o malandro, que é levado preso; porém ele acaba fugindo, o que enfurece o Major. A Comadre então arruma um emprego para o rapaz, que logo se mete em confusão e é demitido; Vidigal consegue pegá-lo novamente e o obriga a servir ao exército. Leonardo, porém, continua aprontando; em uma de suas encrencas, Vidigal decide castigá-lo, mas a Comadre entra em ação e consegue safar o afilhado, que além de não pagar pelo erro que cometeu, é promovido a sargento.

Opinião Pessoal

A narração de Memórias de um Sargento de Milícias é feita em terceira pessoa, e foca a cada momento a vida e perspectiva de uma personagem, tendo em Leonardo um foco maior. O narrador não é protagonista e conta os fatos tempos depois de terem ocorrido. A história se passa na época em que o rei de Portugal estava no Brasil (século XIX).

O livro tem um lado voltado para a vida e dia-a-dia de classes mais baixas da população brasileira, mostrando cenários religiosos e festivos; mostra também uma vizinhança fofoqueira e pessoas que se dão bem de maneiras desonestas.

Leonardo, personagem principal, é o típico malandro; mesmo depois de grande ele não possui uma visão madura, não tem perspectivas em relação ao futuro, se deixa levar por suas emoções, gosta de desafiar as autoridades e não valoriza o que as pessoas fazem por ele.

As personagens do livro, nada graciosas, e a narração, um tanto irônica e sarcástica, mostram que o autor fugiu totalmente do idealismo romântico da época, dando um ar realista à obra. Além de ter um desfecho onde Leonardo é promovido e casa-se com Luisinha, sua “primeira paixão”, o livro antecipa a morte de algumas personagens e futuras desgraças, que são poupadas aos leitores.

A maneira como os capítulos estão divididos e o modo como o narrador interage e explica fatos da história trazem certo dinamismo à leitura, e a tornam mais confortável; o que mais gostei na obra foi seu tom irônico e sarcástico, além do modo descontraído em que ela é narrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *