Resenha Kombi 95 (Thiago Ossostortos)

Após o sumiço de um garoto da rua e com o terror causado por uma gangue de palhaços que sequestra crianças em uma kombi branca para o tráfico de órgãos, um grupo de amigos decide fazer justiça com as próprias mãos. Foguinho, Gelinho e Umbigo são Os Caça-Palhaços, que buscam vingar o suposto sequestro de Albino, menino desaparecido também conhecido como Canjica. Juntos eles formam o retrato perfeito do jovem da década de 90, na qual a história é ambientada.

Saraiva
Saraiva

No Brasil pré-internet a rua era quintal, os videogames estavam se tornando febre entre os jovens, a música era revolucionária e a televisão ainda fazia o papel de maior meio de comunicação e entretenimento. Bandas de rock, duplas sertanejas, salgadinhos que vinham com tazos de brinde, propagandas e programas de TV, excursões escolares para o Playcenter; são diversas as referências feitas por Thiago Ossostortos, que na arte da capa se inspira em Dookie, álbum do Green Day lançado em 94 e responsável por um número estrondoso de vendas na época.

O autor utiliza a lenda urbana da gangue de palhaços que ganhou destaque nos veículos de comunicação e ficou bastante conhecida principalmente na Grande São Paulo, aterrorizando jovens e adultos. A trama, contudo, é apenas uma desculpa de Thiago para levar o leitor em uma viagem no tempo para a década na qual cresceu, fazendo uso inclusive de coisas vivenciadas por ele mesmo para compor a história. Ele faz da década de 90 não apenas pano de fundo, mas quase uma personagem da narrativa, em uma HQ de estilo urbano e linguagem despojada. A nostalgia faz o papel de encantar o leitor, principalmente aquele que, assim como os personagens da história e o próprio autor, teve a infância/juventude ambientada naquele contexto.

Se você sabe o mínimo sobre mim, já deve imaginar que a capa da HQ foi o que me fez querer adquiri-la inicialmente, devido a referência que faz a capa do álbum mais vendido da minha banda favorita. Enquanto a capa foi a responsável por chamar minha atenção, a qualidade do conteúdo foi o que me fez devorar a história em um dia, não sem parar para apreciar a arte e tentar identificar todas as referências a década na qual nasci – mesmo que no final dela, o que faz com que eu não me recorde especificamente do que vivenciei na época.

A leitura de Kombi 95 foi agradável, inclusive visualmente, além de divertida e envolvente. O posfácio conta com esboços iniciais e um esclarecimento do autor de como surgiu a ideia para a história, além de um código que leva o leitor a uma playlist no Spotify com sucessos variados dos anos 90. Devido a todos esses motivos, recomendo não apenas a leitura da história, mas também a posse dessa obra visualmente cativante que merece compor a coleção de qualquer leitor.

Abaixo, confira um vídeo do autor falando um pouquinho mais a respeito da HQ (Canal Mais QI Nerds):

1 Comentário


  1. Kombi 95 e aquele quadrinho pra encher os olhos de qualquer um que acompanhou e gosta dos anos 90. Na grande Sao Paulo dos anos 90, um garoto desaparece e faz com que seus amigos procurem fazer justica com as proprias maos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *