Resenha Inferno (Dan Brown)

Resumo

Após ter um macabro pesadelo, Robert Langdon acorda em um quarto de hospital com um ferimento na cabeça. Suas últimas recordações são de uma caminhada pelo campus de Harvard rumo a um congresso; dois dias se passaram desde então, e o renomado professor se encontra agora em Florença, sem ter a menor noção de como foi parar ali.

Ao presenciar e ser vítima de um atentado, Langdon precisa fugir do hospital o mais depressa possível, e para isso conta com a ajuda de Sienna Brooks, uma doutora misteriosa, inteligente e de beleza admirável, que o leva para seu apartamento e lhe mostra o estranho objeto que encontrou no bolso de seu paletó Harris Tweed. O perturbador conteúdo do objeto os leva a adentrar no épico Inferno de Dante e nos códigos criados por uma mente obcecada por essa obra.

Com uma assassina profissional e um exército em seu encalço, Robert e Sienna começam a seguir pistas pela cidade de Florença em busca de desvendar a inquietante imagem contida no objeto e descobrir como e por que aquilo foi parar nas mãos do professor.

Saraiva
Saraiva

O enredo de Inferno nos leva a mergulhar num mundo repleto de obras de arte, autores memoráveis e lugares históricos; além disso, garante muito suspense e reviravolta, de uma maneira que só Dan Brown consegue fazer.

Opinião pessoal

Primeiramente, devo admitir que, antes de iniciar a leitura de Inferno, já havia criado grande expectativa em relação a mais recente obra de Dan Brown. Grande fã que sou de O símbolo perdido, esperava que o autor fosse lançar algo com um estilo parecido, porém de uma maneira inovadora.

Entretanto, iniciada a leitura, fui envolta por um aborrecimento que me levou ao tédio e total desânimo perante o que estava por vir na narração da nova aventura do professor Robert Langdon. A história, que acreditei que me prenderia logo de início, foi muito difícil de tolerar, pelo menos até a metade do livro. Nos quesitos ação e entretenimento, Brown não soube se arriscar, o que tornou o enredo repetitivo e pouco cativante.

Ainda aguardando reviravoltas que possivelmente viriam a acontecer, acabei me surpreendendo e gostando do rumo ao qual Brown nos levou após todas as complicações que criou. Com abordagem ao tema real da superpopulação mundial, o livro apoderou-se de uma feição calculada e inteligente, e mesmo com suas faltas narrativas, me levou a reflexões sobre o futuro do nosso planeta, e a como o ser humano ignora o que acontece e pode acontecer no espaço onde habita.

Sem conseguir chegar a uma conclusão final e única sobre Inferno, optarei por indicar sua leitura, pois creio que todo livro acrescenta uma bagagem de conhecimento no intelecto da pessoa que o leu, e é interessante adquirir esse conhecimento em áreas não habituais, como no caso dos dois temas abordados por Dan nessa obra: o crescimento populacional acelerado e, principalmente, a herança deixada por Dante Alighieri e sua arte.

No geral, Inferno tem um início ruim, um meio que pode surpreender e um desfecho levemente monótono; apesar de todas as adversidades, a obra deve ser lida até o fim. Só assim você será capaz, assim como eu, de filtrar e absorver o que o autor buscou oferecer dentro de suas limitações e infinidades literárias.

1 Comentário


  1. Oi adorei sua resenha…mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    http://www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    Responder

Deixe uma resposta para juliano cesar de oliveria Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *