Resenha Harry Potter e a Câmara Secreta (J. K. Rowling)

Desde que Harry voltou para a casa dos Dursley após o primeiro ano de suas aulas em Hogwarts, sua vida não tem sido fácil. Com medo do que o sobrinho é capaz de fazer, Vernon e Petunia guardaram todos os seus materiais escolares no armário embaixo da escada, antes quarto de Harry, e agora mantém vista grossa em cada pequeno gesto do garoto. As coisas pioram drasticamente após um jantar no qual o tio receberia um cliente em potencial, na noite do aniversário de Harry que novamente foi ignorado por todos. Sua tarefa era permanecer em seu quarto fingindo não existir, mas o bruxo de agora 12 anos recebe a visita de um elfo doméstico, Dobby, que causa muitas confusões não apenas naquela noite, mas em todo o restante do segundo ano escolar de Harry, com início marcado para o final das férias de verão.

Dobby esta determinado a impedir que o famoso bruxinho volte para Hogwarts naquele ano. Segundo ele, coisas horríveis acontecerão na escola, mas Harry não precisa pensar duas vezes nos motivos mal explicados do elfo para o impedir de voltar para seu lugar favorito no mundo. Tudo o que ele que é ver-se livre dos Dursley e finalmente reencontrar seus amigos Ron e Hermione, após meses sem ter contato com eles devido as proibições de seus tios. Mas Dobby é insistente; ele desce do quarto, faz uma bagunça na cozinha, desaparece e deixa Harry sozinho com o pior castigo que ele poderia receber: além de ficar trancado em seu quarto recebendo pouca comida e podendo sair para usar o banheiro apenas uma vez por dia, os Dursley dizem que ele esta proibido de ir para Hogwarts.

Wikia
Wikia

Quando Harry já perdeu quase toda a esperança de conseguir voltar para a escola naquele ano, Ron e seus irmãos Fred e George aparecem na janela de seu quarto “pilotando” um carro voador. Eles o resgatam de sua prisão e o levam para passar o restante das férias na incrível casa bruxa dos Weasley. Muitas coisas ainda acontecem antes que as aulas finalmente se iniciem, e tudo parece indicar que, mais uma vez, aquele não será um ano comum na vida de Harry e seus amigos.

A previsão de Dobby quanto as coisas ruins que aconteceriam em Hogwarts caso Harry fosse para lá estava certa. Nos corredores do castelo, ataques misteriosos acontecem aos filhos de trouxas, e surgem rumores de que o herdeiro de Sonserina abriu a Câmara Secreta, que o criador da casa supostamente teria criado com o intuito de lá esconder um monstro capaz de matar todos os bruxos de sangue não puro. O fato de Harry sempre estar perto de onde os ataques ocorrem, além da descoberta de que seu dom de falar com cobras não é algo tão normal como ele imaginava, faz com que por um momento quase toda a escola desconfie do famoso bruxinho, inclusive ele mesmo.

No segundo livro da saga Harry Potter precisamos conviver com o insuportável e presunçoso professor Gilderoy Lockhart, além de Colin Creevey, um aluno obcecado por Harry, e Gina Weasley, que nutre uma paixão pelo melhor amigo de seu irmão e esta no primeiro ano de suas aulas em Hogwarts. Também descobrimos mais a respeito do passado de Hagrid e do próprio Voldemort, que novamente arruma uma forma de estar no encalço do garoto responsável pela perda de seus poderes. Ron e Hermione dão uma prova de toda sua lealdade para com o amigo mesmo quando ninguém mais acredita nele, assim como Harry prova com muita coragem sua lealdade para com Hogwarts, Dumbledore e Hagrid.

Harry Potter e a Câmara Secreta demorou um pouco para conquistar minha atenção. Ao contrário do primeiro livro da saga, que me prendeu do início ao fim, com esse a leitura custou um pouco a fluir, mas de certa forma eu sabia que acabaria acontecendo. Eu me recordava muito pouco da adaptação desse livro, então quase toda a história foi surpreendente para mim, ainda mais quando as cenas de ação e mistério envolvendo a câmara secreta finalmente começaram a acontecer. O final é impressionante; acabei gostando muito mais da obra do que pensei que gostaria, e meu interesse em ler a próxima apenas aumentou. Talvez esse venha a ser o livro menos marcante de toda a saga para mim, mas a leitura valeu a pena e eu sou incapaz de dizer algo negativo sobre ela além do fato de que as coisas pareceram demorar um pouco para acontecer – tudo por um bom motivo, como mais tarde descobri. Continuo com minha forte indicação para todos aqueles que ainda não leram Harry Potter, e estou ansiosa para escrever e postar a resenha do terceiro livro da saga, que eu já li.

2 Comentários


  1. Juuu, também detesto o Lockhart! Incompetente e hipócrita, humpf!!! Odeio quem é assim, e ainda mais aceita o cargo de professor (acontece também na vida real), é um desrespeito com os alunos!
    Gosto bastante desse segundo volume, acho que tudo se assemelha a uma investigação policial para saber por quem a Câmara Secreta foi aberta, e porquê. As pistas são ótimas! <3
    Harry Potter é tudo de bom! Ansiosa pela resenha do terceiro livro!
    Beijão!
    Nati

    Responder

    1. Ninguem merece aquele professor! Eu tinha muita raiva, principalmente quando ele falava com o Harry como se ele tambem so se importasse com fama, enquanto o Harry na verdade nem pensa nisso.
      Eu acabei gostando muito mais do livro quando descobri que tudo aquilo que estava acontecendo contribuia para a solucao do misterio da Camara Secreta. Acho que fui meio desatenta quanto a isso :/
      Sem contar que eu gosto do Hagrid cada vez mais, com aquele jeito esquisito de gostar das criaturas que todos tem medo. O coracao dele combina com a altura!
      Essa saga so me surpreende, preciso logo resenhar o terceiro <3
      Beijos!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *