Resenha A Morte do Demônio (2013)

Fiz resenha do filme Sobrenatural – A Origem (para ler, clique aqui) na qual afirmei que praticamente todos os filmes de terror que assisti até então tinham sido de certa forma decepcionantes para mim. Contudo, expressei meu desejo de um dia encontrar um que realmente me agradasse e surpreendesse, e fico feliz em dizer que isso finalmente aconteceu. Assisti o filme A Morte do Demônio (remake do filme The Evil Dead, lançado em 1981) e ele é exatamente da maneira que, na minha opinião, um bom filme de terror deve ser. Ou seja: em pouco tempo, consigui gostar de um filme de terror E de um filme de ação (Expresso do Amanhã). Como costumam dizer, para tudo realmente há uma primeira vez nessa vida.

No filme A Morte do Demônio acompanhamos o reencontro de cinco jovens em uma cabana. Mia, que sofre com o uso de drogas, pede a seus amigos de infância Olivia e Eric, além de seu irmão David, que leva a namorada Natalie, para que a acompanhem em outra tentativa de ver-se livre do vício. O local pertencia a mãe dos dois irmãos, que antes de morrer sofreu sérios transtornos psicológicos. Quando se reencontram, a jovem joga fora suas drogas e promete que não mais fará uso delas. Olivia sabe, contudo, que grandes são as chances de Mia desistir da sua promessa ainda nos dias em que ficarão na cabana, e sugere a David e Eric que se recusem a levá-la embora caso ela venha a pedir.

Logo ao chegarem na cabana descobrem que ela foi invadida e que coisas estranhas foram feitas no porão, onde Eric encontra um misterioso livro. Movido por sua curiosidade e sem falar a respeito com seus amigos, ele faz a leitura do livro em voz alta, sem saber que com isso libertou a maldição de um perigoso demônio. Mia é a mais fraca psicologicamente do grupo, e ninguém acredita no que ela diz quando começa a se sentir assombrada e perseguida por algo malígno, por pensarem se tratar de efeitos da abstinência e um drama forçado para que a levem embora para casa. A intenção do demônio é matar os cinco jovens antes que eles consigam acorrentá-lo ao livro novamente com a realização de algum desses três atos: queimar a pessoa possuída, enterrá-la ou então desmembrar seu corpo.

Papel pop a morte demonio
Papel Pop

A Morte do Demônio é um filme horrível; não devido a sua produção, atuação do elenco ou efeitos especiais. Ele é um filme horrível porque não existe palavra melhor para expressar tamanha aflição que ele é capaz de causar. É até difícil para mim recomendar a todas as pessoas que assistam, porque ele com certeza não é uma boa pedida para aqueles que possuem o estômago fraco. Contudo, se eu consegui assistir o filme todo sem ficar virando o rosto para a maioria das cenas, apesar da minha vontade de fazer isso (e apesar de ter sim feito isso), acho que é possível para qualquer um assistir. Eu provavelmente nunca senti tanta aflição na minha vida, mas gostei disso.

O filme é bom e surpreendentemente não apelativo. Com exceção de um número considerável de bater de portas que chega a ser um pouco irritante, o terror não é baseado em sustos, e só isso já é um alívio. Ele possui uma história muito bem elaborada e contada, o que na minha opinião é o ponto mais positivo de todos. A cena inicial que nos mostra uma garota possuída sendo queimada pelo próprio pai esta de certa forma envolvida com o que mais tarde acontece aos cinco jovens, portanto você sabe que todas aquelas coisas horríveis não estão acontecendo com eles simplesmente por acontecer. Vários de meus palpites durante o filme se mostraram equivocados, e o final foi bem diferente do que eu esperava. Apesar de tudo isso, a palavra que melhor o define continua sendo aflição. Repito: nunca um filme me fez sentir tanta aflição na vida quanto A Morte do Demônio.

Esse talvez não seja o melhor filme de terror de todos os tempos, e eu provavelmente não sou a pessoa mais indicada para falar sobre isso. Contudo, ele foi o melhor que eu assisti até hoje, e por isso me decido aqui e agora a colocá-lo como número um na minha lista de recomendação para pessoas que gostam do gênero.

4 Comentários


    1. Eu não assisti o original ainda, Barbara. Mas estava lendo uns comentários no Youtube, e também vi no canal Pipocando um vídeo sobre filmes de terror, e parece que ambos são elogiados, disseram que esse remake ficou muito bom, assim como o original.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *