Melhores de 2017 – e algumas reflexões

Hoje venho trazer algumas reflexões sobre o ano de 2017, recapitulando um pouco a respeito daquilo que li, assisti e vivi ao longo do ano.

No que diz respeito a livros, finalizei o ano com 47 leituras concluídas, dando o total de 10881 páginas lidas. Essas foram as 10 melhores leituras do ano (em ordem aleatória):

Presos que menstruam – Nana Queiroz (resenha)
Hibisco roxo – Chimamanda Ngozi Adichie
Extraordinário – R. J. Palacio (resenha)
Para poder viver – Yeonmi Park
O conto da Aia – Margaret Atwood
Passarinho – Crystal Chan (resenha)
A Game Of Thrones – George R. R. Martin
Reparação – Ian McEwan
Caixa de pássaros – Josh Malerman (resenha)
Depois a louca sou eu – Tati Bernardi

No que diz respeito a filmes, 2017 não foi um ano muito impressionante em minha vida. Fui poucas vezes ao cinema, e assisti um total de 39 filmes. Esses foram os 10 melhores filmes assistidos do ano (também em ordem aleatória):

Até o Último Homem (resenha)
Swiss Army Man (resenha)
O Curioso Caso de Benjamin Button
Moonlight
Não Me Abandone Jamais
Tempo de Despertar
O Jogo da Imitação
A Babá
Extraordinário
Capitão Fantástico

Gostaria de deixar registrado que 2017 foi o ano em que finalmente comecei a cursar Jornalismo, além de ter começado a dar aulas de Inglês e realizado um dos maiores sonhos da minha vida: ir a um show do Green Day (para ler a respeito dessa experiência incrível, clique aqui).

Esse também foi o ano em que comecei a participar de um clube de leitura, o Piquenique Literário. Graças a ele, li 10 livros surpreendentes ao longo do ano, tendo a oportunidade de conversar a respeito de cada um deles em encontros sensacionais, repletos de comidinhas e pessoas especiais. Além disso, participei de minha primeira maratona literária, a Maratona Dezembrina, criada pela Natasha do canal Redemunhando (para ver o canal da Nati, clique aqui). A maratona foi bastante produtiva: li 8 livros no último mês do ano, e foi muito bom dedicar tanto tempo a leitura, coisa que infelizmente não fazia há séculos. Várias dessas leituras foram feitas em uma das minhas melhores aquisições do ano, o Kindle, e o que eu tenho a dizer a respeito dele é que é bem melhor do que ler livros no celular – a vista realmente não cansa!

Em 2017 também tivemos meta literária totalmente fracassada – dos 20 livros que eu queria ler, li apenas 8. O que levo dessa experiência é a seguinte lição: seja humilde e realista da próxima vez, Julie. Para 2018, a meta é não ter muitas metas, muito menos uma literária. Com exceção de algumas leituras que pretendo realizar, serei livre para ler o livro que me der na telha.

Desejo um ótimo 2018 a todos vocês, e nos vemos por aí!

ea5d26fec67682a1dc5de8858fc034dd

4 Comentários


  1. Ai que coisa linda! Dos seus 10 melhores livros, 5 são do piquenique! É um prazer ter vc com a gente, Julie <3 Vc é muito querida! Sobre jornalismo, aproveite muito! Não é uma profissão fácil, mas se vc a ama, não consegue largar… é quase uma droga rs E sobre Green Day, caraca, te entendo demais! Fico muito feliz por vc ter realizado esse sonho, entendo perfeitamente do que vc está falando. Foi um ano e tanto, hein?! Muita coisa boa! Que 2018 seja ainda melhor pra todos nós! 🙂

    Responder

    1. Os livros escolhidos pro Piquenique foram todos muito bons,Thaís!! Com exceção do russo (não consegui aproveitar muito essa leitura), gostei muito de todos eles. O sol é para todos por exemplo só não brigou por um lugar na lista porque li a primeira vez em 2016 (e entrou na lista desse ano haha). Fico muuuuito feliz em participar do Piquenique <3
      Sobre jornalismo, nem me fale, Thaís, eu sou apaixonada por diversos assuntos, mas esse... <3 talvez justamente por ser tão abrangente, é muito legal estar estudando isso.
      Ainda me arrepio quando lembro do show do Green Day, que bom que você me entende porque às vezes me sinto muito louca por eles mas é que eu sou mesmo haha Espero que eles voltem pro Brasil tanto quanto o U2!
      Ótimo 2018, Thaís <3

      Responder

  2. Ótimas reflexões, Julie! E ótimas leituras também! O piquenique também me rendeu algumas das minha melhores leituras de 2017 e tenho certeza de que esse ano será igual! Que venha 2018! Beijos

    Responder

    1. Obrigada, Vanessa! Ótimo 2018, leituras e piqueniques para nós <3

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *