Indico: 5 filmes

Da mesma maneira que não resenho todos os livros que leio, com os filmes é a mesma coisa (na verdade, ainda pior). Por isso, hoje venho trazer a indicação de 5 filmes que assisti ainda esse ano, e que apesar de não ter feito a resenha, vale a pena recomendar. Novamente, contarei um pouco sobre a história de cada um e o motivo pelo qual acho que as pessoas deveriam assistir. Espero que gostem.

  1. As coisas impossíveis do amor. Emília (Natalie Portman) é uma jovem advogada muito atraente que envolve-se com seu chefe comprometido e acaba se casando com ele. Os dois têm uma filha que morre de maneira trágica ainda nas primeiras semanas de vida. Emília sofre mudanças drásticas após a perda, que a deixa cheia de traumas. Além disso, precisa lidar com a ex-mulher do seu marido, que a detesta, e com o filho do casal, de quem agora é madrasta. O filme faz um mistério por trás da morte do bebê e do psicológico da protagonista, que se sente culpada e age de maneira muitas vezes incompreensível. Em nenhum momento decepcionante, é uma história perfeita para aqueles que, como eu, gostam do gênero drama.

    Cinezen
    CineZen
  2. Histórias cruzadas. Baseado no livro A Resposta, de Kathryn Stockett, esse filme se passa nos anos 60 e retrata uma realidade de racismo e desigualdade. Skeeter, interpretada por Emma Stone, foi praticamente criada por uma negra, sua babá, assim como todos os filhos das mulheres da sociedade. Ao crescer, decide se tornar escritora e jornalista. Em seu primeiro livro, entrevista as mulheres negras da cidade a fim de relatar a realidade de suas vidas e tudo pelo que já passaram com suas patroas. O filme é engraçado em alguns momentos, mas principalmente tocante. Impossível não se impressionar e indignar com os relatos que Skeeter recolhe e que revelam uma época de escravidão disfarçada. Não foi a primeira vez que assisti esse filme, e assistiria de novo e de novo.

    MTV
    MTV
  1. Número 23. Esse é definitivamente um dos filmes que mais mexeram com o meu psicológico. Nele, conhecemos Walter Sparrow, que certo dia ganha da esposa um livro chamado O Número 23 como presente de aniversário, e ao ler percebe que ele tem muita semelhança com coisas que já aconteceram em seu passado, quase como se tivesse sido baseado em sua própria história. Além disso, ele nota que o número 23 sempre esteve presente em sua vida, o que o deixa extremamente paranoico. O filme é estrelado por ninguém menos do que Jim Carrey. Foi a primeira vez que o vi atuando fora do gênero comédia, e seu talento contribuiu para que eu me envolvesse com a história de maneira inesperada.

    ClickGratis
    ClickGratis
  2. A música nunca parou. Não é ótimo quando um filme é todo baseado em música, e música de qualidade? É exatamente o que acontece em A música nunca parou. Conforme Gabriel crescia, cada vez mais discordava das opiniões de seu pai. Adolescente rebelde, sai de casa ainda cedo e somente anos depois seus pais descobrem que ele foi tirado das ruas e esta em um hospital, se recuperando de uma cirurgia para tirar um tumor no cérebro. Com a memória comprometida, seu pai descobre que através da música (principalmente as da banda Grateful Dead) o filho consegue lembrar-se de se sua adolescência, e numa tentativa de compensar os anos que perdeu brigando com ele e não estando ao seu lado, passa a estudar e escutar com afinco as bandas e discos favoritos do filho, a fim de se reconciliar com ele e entender tudo pelo que passou. O filme é um pouco lento, mas emocionante e perfeito para os amantes de música e do movimento hippie.

    CineZen
    Cinemascope
  3. O menino do pijama listrado. Me emocionei com esse filme ainda mais na segunda vez que o assisti. Baseado no livro de mesmo nome do autor John Boyne, ele nos conta a história do Bruno, um garoto de nove anos que muda-se de sua casa com sua família para uma região isolada onde ele e sua irmã mais velha precisam estudar com um prfessor particular. Sem ter muita noção da guerra que assola o mundo e do envolvimento direto que sua família tem com ela, o garoto sente falta de brincar com seus colegas da antiga escola. Certo dia, descobre através da janela do seu quarto que mora perto de um campo de concentração. Pensando se tratar de uma estranha fazenda onde todos precisam usar pijamas listrados, o curioso garoto decide se aventurar e acaba conhecendo Shmuel. Apesar da cerca que os separa, se desenvolve entre eles uma bela e inocente amizade. A história é triste, incrível, emocionante, e muito indicada para aqueles que se interessam pela Segunda Guerra Mundial, pois passa uma visão diferente e única sobre esse terrivel período da história da humanidade. 

    AdoroCinema
    AdoroCinema

    Espero que tenham gostado 🙂

3 Comentários


  1. Oiiiii Julie!!!!
    Ano passado, eu resenhava todos os livros que eu lia, mas este ano, o ritmo de leitura aumentou e é impossível resenhar todos. E nem quero. Acho que às vezes, precisamos ler algo mais descompromissadamente, né? (Leitura para resenhar tem que estar mais atenta a detalhes técnicos, etc.)
    Não sou uma pessoa cinéfila, assisto a poucos filmes… por isso, essas listas de indicações são excelentes pra mim, pois já selecionam alguns filmes que a pessoa gostou! 😀
    Adorooooo drama (acho que é meu gênero favorito), esse “As coisas impossíveis do amor” parece ótimo!!!
    “Histórias cruzadas” é maravilhoso!!! Tenho o livro aqui em casa, mas ainda não li. Está esperando o momento certo! 😛 É realmente um filme a que eu assistiria várias vezes também!
    Sobre o Jim Carrey em papéis “sérios”, ADORO “O show de Truman”, vc já viu?! Se não, por favor, veja! É um dos meus filmes favoritos! Aliás, diga-se de passagem, acho que ele é melhor como ator em dramas do que em comédias (ele fica muito caricato nos filmes de humor, sei lá… me incomoda um pouco).
    Filmes lentos são comigo mesmo!!! “A música nunca parou” deve ser legal, curti a premissa de recuperar a memória através da música. Afinal, DEFINITIVAMENTE, a música faz parte da nossa memória afetiva, né? Eu tenho um grande amor pelos anos 1990 por causa da música! 🙂
    E “O menino do pijama listrado” é… <3
    Beijooooooo!
    Nati

    Responder

    1. Concordo com você, Nati. Inclusive a maioria dos melhores livros que já li eu não fiz resenha, preferi somente apreciar e de certa forma guardar aquilo pra mim. Tem coisas que são bem difíceis de expressar através de palavras. E sinto uma responsabilidade maior quando leio sabendo que vou resenhar, é mesmo diferente.
      Acho que não me considero cinéfila, mas gosto muito de estar por dentro desse universo e procuro sempre assistir alguma coisa. Quando ouço falar de algum que parece interessante anoto em uma lista para assistir futuramente. Pode deixar que O show de Truman será um dos próximos 😉 Na verdade eu me lembrei que também assisti Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças e o Jim Carrey é realmente muito bom em outros gêneros que não comédia. Drama é sem dúvidas o meu favorito, e pra falar a verdade não vejo problema algum em filmes lentos, até prefiro.
      Eu não li nenhum dos livros que deram origem aos filmes citados :/ mas pretendo!
      Beijos!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *