3 Filmes melhores que seus livros

Considero a coisa mais normal do mundo quando eu gosto ou desgosto de alguma coisa e encontro pessoas que pensam exatamente o contrário. Eu sempre busco tirar algum proveito de cada livro que leio e cada filme que assisto, mesmo que no final das contas tenha sido apenas um entretenimento. Por isso, raramente deixo de fazer uma recomendação, mesmo que eu não tenha gostado tanto assim, porque para outras pessoas o tal livro/filme pode se tornar o melhor de suas vidas. Isso acontecia muito comigo principalmente na época em que a maioria das minhas leituras era da literatura brasileira. Frequentes eram as perguntas feitas a mim do tipo “Como você consegue gostar desse livro?”, e eu nem me dava ao trabalho de responder. Gosto é gosto, eu sei muito bem disso.

Dependendo da época em que lemos determinado livro a leitura simplesmente não nos encanta ou impressiona, mesmo se tratando de um best-seller ou coisa do tipo. Apesar de concordar que os livros costumam ser muito melhores do que suas adaptações cinematográficas, às vezes acontece o oposto e acabo gostando muito mais do filme, seja porque o filme é realmente melhor (na minha concepção), seja porque não gostei tanto do livro. Por isso, hoje venho falar de 3 obras que gostei mais na versão “cinema”, sem desmerecer a história original na versão livro. Lembrando também que trata-se da minha opinião e da experiência que tive com cada livro e filme.

  1. A Hospedeira (Stephenie Meyer). Conheço uma pessoa que considera esse o melhor livro de todos os tempos, enquanto ele é um dos que menos gostei na época em que li. Apesar de certos aspectos interessantes, no geral acho que as coisas demoraram para começar a acontecer e todo o meio da história foi um pouco lento e enrolado, por isso a leitura simplesmente não fluiu para mim. O filme foi lançado cinco anos após a publicação do livro, e na minha opinião conseguiu deixar a história muito mais instigante. Além disso, minhas expectativas em relação à adaptação eram quase inexistentes, então acabei me impressionando bastante com o resultado.

    Sobre Sagas
    Sobre Sagas
  2. Marley & Eu (John Grogan). Dessa vez foi um pouquinho diferente. Eu assisti ao filme inicialmente e simplesmente adorei, em todos os aspectos. Nunca fui atrás de assistir novamente devido ao final ser de partir o coração, mas li o livro depois e, apesar de ser igualmente bom, acabei o considerando inferior ao filme. A história no geral é muito boa e o livro tem seus aspectos positivos. Na minha opinião, contudo, as trapalhadas de Marley são mais divertidas de assistir do que de ler, enquanto as partes emocionantes são igualmente mais emocionantes no filme.

    Web Cachorros
    Web Cachorros
  3. Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll). Apesar de ter gostado do filme lançado em 2010, a “comparação” que eu gostaria de fazer aqui na verdade diz respeito à animação da Disney de 1951. Eu provavelmente devo ter lido a história em versões mais simplificadas quando mais nova, porém apenas recentemente fiz a leitura do livro de Lewis Carroll, cheia de expectativas após ver em muitos blogs e canais literários o quanto ele é querido pelos leitores. Devo ter lido na época errada da minha vida, pois acabei não gostando e preferindo muito mais o filme – e eu definitivamente não sou uma pessoa que não gosta de histórias “infantis”. Contudo, com certeza não deixaria de indicar essa obra por saber que ela é importante para muitas pessoas devido a ter marcado o início de suas vidas como leitoras.

    yu magazine
    yu magazine

 

12 Comentários


  1. Concordei demais com A Hospedeira, eu demorei um pouco pra entender o livro, não estava tão acostumada com a leitura, pode se dizer… então fui ao cinema meio que ‘por obrigação’ mas me apaixonei pelo filme ♥

    Responder

  2. Timing realmente é tudo com “Alice”, e falo por ser um dos meus livros favoritos (diria que talvez um quarto lugar). Se posso dar uma sugestão, experimente voltar pro livro naquele momento da vida em que estiver com um desejo incontrolável pelo fantástico e pelo absurdo. Ao menos pra mim, a história ganha um colorido todo novo e perturbador quando focamos na insanidade “just because” dos personagens haha

    E parabéns pelo blog! Combinação bem interessante de bom conteúdo, redação objetiva e autoridade pra falar do que fala =]

    Responder

    1. Boa sugestão! Eu fiquei chateada por não ter gostado tanto, mas pretendo sim ler novamente, vou tentar quando sentir ser o momento certo.
      Muito obrigada, Sergio!

      Responder

  3. Oiii Ju!!!!!!!!
    Também tenho alguns filmes que prefiro a seus livros de origem! O maior exemplo é “Abril despedaçado”, o filme brasileiro, simplesmente INCRÍVEL! O livro se passa num cenário diferente e tem muitas coisas diferentes, as quais não curti tanto.
    “Alice no País das Maravilhas” é um desenho que me assustava (ainda assusta!) um pouco, e o livro também não é meu tipo…
    Beijão!
    Nati

    Responder

    1. Sempre existiam aqueles desenhos, da Disney ou não, que nos assustavam quando crianças uhauaha
      Nunca li ou assisti Abril despedaçado, mas li a sinopse do filme e me interessei!
      Obrigada pela visita, Nati!

      Responder

  4. Gosto muito do filme Alice, mas o livro é um pouco mais completo (como sempre). Lembro que havia uma outra versão do filme, não da Disney, que era bem estranha mas tinha algumas coisas que o da Disney não tinha. Anyway, amo essa animação!

    Responder

    1. Sério? Talvez já tenha ouvido falar, mas não me lembro. É uma animação muito boa e diferente, também gosto muito! E só poderia ter sido baseada nesse livro meio maluco do Lewis Carrol uhauah Espero um dia reler e gostar tanto quanto gosto do filme!

      Responder

  5. Ah, complementando meu comentário anterior: achei esse post uma ótima ideia, afinal, sempre vemos exatamente o contrário hahahaha

    Responder

    1. Exatamente, Barbara! Muito mais fácil preferir o livro do que o filme, mas às vezes acontece o contrário. Obrigada pela visita 🙂

      Responder

Deixe uma resposta para Barbara Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *